AS “NOVAS” ESTRATÉGIAS DO CAPITAL PARA O CAMPO BRASILEIRO A PARTIR DO DISCURSO DO AGRONEGÓCIO

Suzane Tosta Souza, Alexandrina Luz Conceição

Resumo


O presente artigo busca demonstrar as contradições do discurso do desenvolvimento difundido pelo capital no campo brasileiro, mais recentemente a partir da ideologia do agronegócio e sua tentativa de tornar-se modelo hegemônico. Considera-se que, para além do discurso da produção e da produtividade, o agronegócio não tem se revertido em possibilidades concretas para aqueles que vivem do trabalho no campo. Este, além de garantir uma produção para exportação, e não produzir mais que as pequenas e médias unidades de produção, tem se consolidado a partir do que há de mais atrasado – as relações de trabalho escravas e semi-escravas e a manutenção da estrutura fundiária concentrada. Desta forma, o capital se desenvolve no campo a partir de novas investidas sobre o trabalho acirrando os conflitos capital x trabalho.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v9i1.1651

A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025