A AÇÃO DO ESTADO NA CONTRAMÃO DA REALIZAÇÃO DO TRABALHO

Raimunda Áurea Dias de Sousa, Alexandrina Luz Conceição

Resumo


 

 Na medida em que o capitalismo avança, cresce a necessidade do trabalho e de um controle maior do trabalhador, pois sem eles não é possível a acumulação do capital. Nesse sentido, para a expansão integral do sistema é imprescindível a aliança entre capital-trabalho-Estado. Este último, se desenvolve com uma famosa ideologia administrativa e passa a organizar o trabalho de modo que seja possível o aumento da produção, tendo como essencial nesse processo a apropriação da natureza, sua transformação em necessidades do capital, mediante a divisão social do trabalho. Especialmente no campo, a ação do Estado se fundamenta no discurso do “desenvolvimento” como indispensável ao aumento da produção. E, como forma de possibilitar a acumulação capitalista, a terra passou a ser capturada pelo sistema, não exatamente a terra em si, mas sua renda. É com base nessa realidade que este estudo busca analisar as alterações do trabalho no campo, em especial nos Perímetros Irrigados - Polo Juazeiro/Petrolina, no momento em que a terra passa a ser capturada pelo capital.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33026/peg.v11i2.1304

A Pegada está indexada em:

LATINDEX - http://www.latindex.unam.mx/

Sumarios.org - http://sumarios.org/

Scientific Indexing Services (SIS) - http://sindexs.org/

GEODADOS - http://geodados.pg.utfpr.edu.br/

Capes Periódicos - http://www.periodicos.capes.gov.br/

Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico (REDIB) - https://www.redib.org/

Directory of Open Acess Journals (DOAJ) - http://doaj.org/

EBSCO - https://www.ebsco.com/

ISSN: 1676-3025