O CAMPO MOÇAMBICANO NO SÉCULO XXI: DILEMAS E PERSPECTIVAS DO CAMPESINATO FRENTE ÀS GRANDES CORPORAÇÕES DO AGRONEGÓCIO/ The rural areas of Mozambique in the 21 st. century: Dilemmas and perspectives of the peasantry through agro-indistrial companies/ El campo mozambiqueño en el siglo XXI: dilemas y perspectivas del campesinado frente a las grandes corporaciones agroindustriales

Lucas Anastácio Catsossa

Resumo


O texto discute a atual geopolítica mundial da questão agrária que marca a corrida por terras agrícolas em Moçambique para a produção de commodities para exportação. Embora, observemos nos discursos que levam a territorialização destas corporações em Moçambique, questões sociais, de serem elas, a solução da fome, da miséria e do desemprego, mas, mais do que solucioná-los, estão a recriar outros, difícil de solucionar ou remediar, como por exemplo, a expropriação e a usurpação de terras comunitárias sem, no entanto, deixar de lado os conflitos socioambientais. Além da destruição do campesinato, a territorialização do capital representa uma ameaça à soberania, tanto territorial, como alimentar, na medida em que são firmas orientadas apenas para a produção de commodities. O ProSAVANA, é apenas o exemplo disto, e a ele, adiciona-se o risco relacionado com o aprofundamento da insegurança alimentar e da miséria no Corredor de Nacala.


Palavras-chave


GMoçambique; corredor de Nacala; agronegócio; campesinato; ProSAVANA

Texto completo:

PDF


 

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS 
 


                          
Gale
                       
ExLibris header image


APOIO

IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada