A CONSTRUÇÃO INICIAL DO LIMIAR MODERNO SOBRE A REALIDADE E OS SENTIDOS: A DISTINÇÃO ENTRE NATUREZA E HOMEM

João Vitor Gobis Verges

Resumo


Propõe-se com este artigo a exposição da construção inicial das interpretações modernas sobre o universo que, de modo categórico, incide na composição de entendimento que individualiza a natureza e o homem. Neste sentido, cria-se a distinção entre as qualidades primárias e secundárias da matéria, ou seja, o conjunto das coisas reais e o conjunto das ilusões provocadas pela ação da realidade. Tal conjuntura está apresentada a partir da revisão bibliográfica e da correlação entre as formulações epistemológicas de pensadores como Nicolau Copérnico (1473-1543), Johannes Kepler (1571-1630) e Galileu Galilei (1564-1642), figurados no advento da Modernidade. Com isso, pretende-se contribuir com um trabalho de base para o discernimento de estruturações geográficas, caracterizadas nos debates que divergem em Geografia Física e Geografia Humana, evidenciando o processo de estruturação na Modernidade da divisão do objeto da realidade em aspectos físicos e humanos, possibilitando a ampliação das interpretações em relação à questão dicotômica nesta ciência.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais

 ISSN: 1984-1647

E-mail para contato: geoatos.editorial@gmail.com

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

  

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

       BASE LogoResultado de imagem para PERIÓDICOS CAPESResultado de imagem para sumarios.orgResultado de imagem para redib

 
 
Resultado de imagem para DRJI                                                    Resultado de imagem para MIAR INDEXADORResultado de imagem para latindexResultado de imagem para google scholar Resultado de imagem para J4F INDEXADOR