ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA NA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE PRESIDENTE EPITÁCIO - SÃO PAULO

Ricardo dos Santos, Antonio Cezar Leal

Resumo


Essa pesquisa teve como objetivo principal analisar a qualidade de vida e a qualidade ambiental da área urbana da Estância Turística de Presidente Epitácio, Estado de São Paulo. Foram realizados levantamento bibliográfico, coleta de dados e informações em órgãos públicos e análise da qualidade de vida e da qualidade ambiental, incluindo realização de trabalhos de campo, aplicação de 715 questionários com moradores, abordando indicadores quantitativos e indicadores qualitativos. Os principais problemas ambientais e sociais identificados foram o desemprego, ausência de áreas de lazer e de áreas verdes em bairros, deposição irregular de lixo na periferia; ausência ou inadequada arborização; alagamentos em ruas; intensificação de problemas decorrentes da formação da represa da UHE Engenheiro Sérgio Motta, como processos erosivos nas margens fluviais, desmatamento e perda de áreas públicas. A população em geral considera sua qualidade de vida na cidade como razoável a boa, a partir dos aspectos ambientais, lazer, segurança, oferta de equipamentos públicos e serviços de saúde. Assim, pode-se afirmar que os problemas ambientais e sociais foram ocasionados ou agravados pela forma como ocorreu o processo de produção da cidade, sua localização em terraços do rio Paraná e em solos com alta suscetibilidade à erosão devido a retirada da vegetação e ao não cumprimento de leis ambientais e pela formação da represa da UHE, com significativas transformações na paisagem do município e impactos positivos e negativos na qualidade de vida da população.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v2i18.872

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio