E SE A REPRESENTAÇÃO FOSSE APENAS A INVENÇÃO DA MOEDA FIDUCIÁRIA DO REAL?

Claude RAFFESTIN

Resumo


Para iniciar, eu estou realmente disposto a admitir que o título desta comunicação pode, sob vários aspectos, surpreender e mesmo intrigar. Dito isto, minha intenção, quando eu formulei a questão sobre o modo condicional, não era, estejam certos, de provocar uma perplexidade que eu iria saborear com prazer, ou até mesmo com uma porçãozinha de sadismo. Nada disso ! Eu procurei, com esse título, colocar um problema que me provoca a saber o que é a PAISAGEM, enquanto representação, em nossas sociedades. Seguramente, é mais que uma imagem, no sentido geral do termo, sob diversas formas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v2i14.641

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio