SENSAÇÕES TÉRMICAS DO PERÍODO DE 1977-2016 EM TERESINA-PI, BRASIL

Raimundo Mainar de Medeiros

Resumo


As condições atmosféricas e os efeitos adversos sobre o clima regional e local exercem forte influência na sociedade e vem causando condições de stress bioclimático que afetam a saúde e condição humana. Objetivou-se avaliar e analisar espacialmente as variabilidades da sensação térmica e o seu nível de desconforto relacionando o comportamento do clima e a configuração urbana para o município de Teresina-PI. Utilizaram-se dados mensais e anuais de temperatura máxima, mínima e da umidade relativa do ar no período de 1977 a 2016, oriundos da estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia, localizada na área estudada. Foi aplicado o índice de desconforto de Thom visando-se detectar as possíveis variabilidades de tendência climática observadas nos referidos elementos estudados, em escala local e regional. Ficou evidenciado que as madrugadas estão ficando mais quentes e abafadas ao passo que às tardes as flutuações das sensações térmicas permanecem estacionárias. Também foi constatado que o aumento da temperatura do ar ocorre em função da forte flutuação da tendência de aumento da temperatura mínima do ar.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, R. R. O conforto térmico e as implicações na saúde: uma abordagem preliminar sobre os seus efeitos na população urbana de São Luís-Maranhão. Caderno de Pesquisa, São Luís, v. 19, n. 3, set./dez. 2012.

ASSIS, E. S. Estudo integrado da ilha de calor em áreas urbanas e sua contribuição ao planejamento: o caso de Belo Horizonte, MG. Fórum Patrimônio, v. 4, n. 1, p. 69-83, 2011.

BRASIL, A. P. M. S.; SILVA, M. E. C.; RIBEIRO, W. O. Clima, ambiente urbano e qualidade de vida: uma análise da percepção dos moradores da periferia belenense do Carmelândia sobre o conforto/desconforto térmico. Boletim Geográfico. Maringá, v. 33, n. 2, p.60-72, 2015.

FREITAS, A. Ilha de calor urbana: um estudo de caso no Campus IV da UFPB. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 8 , n. 3, p. 811 – 822, 2015.

GILES, B .D.; BALAFOUTIS, C. H. The Greekheatwavesof 1987 and 1988. International Journal of Climatology, v.10, n.1, p.505–517, 1990.

INMET. Instituto Nacional de Meteorologia. Normas climatológicas. Brasília, DF: 2017.

IPCC. Intergovernmental Panel on Climate Change. Climate Change 2007: Working Group I: The Physical Science Basis (Summary for Policymakers). Cambridge. 2007. Disponível: GS.

IPCC. Intergovernmental Panel on Climate Change. 2014: Impacts, Adaptation, and Vulnerability. Part B: Regional Aspects. Working Group II Contribution to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Disponível: GS. JaureguI, E. Heat Island Development in Mexico City. Atmospheric Environment, v. 31, n. 22, p.3821–3831, nov. 1997.

KÖPPEN, W.; GEIGER, R. Klimate der Erde. Gotha: Verlagcondicionadas. Justus Perthes. p.1928.

KOZMHINSKY, M; PINHEIRO, S. M. G; EL – DEIR, S. G. Telhados Verdes: uma iniciativa sustentável. I. ed. Recife: EDUFRPE, 2016.

LABAKI, L. C.; SANTOS, R. F.; BUENO-BARTHOLOMEI, C. L.; ABREU, L. V. Artigo: Vegetação e conforto térmico em espaços urbanos abertos. Belo Horizonte: Fórum Patrimônio. Mudanças climáticas e o impacto das cidades, v.4, n.1, p.23-42, 2011.

LOPES, A. et al. Lisbon Urban Heat Island Updated: New Highlights about the Relationships between Thermal Patterns and Wind Regimes. Advances in Meteorology, v. 2013, p.1–11, 2012.

MARENGO, J.A.; CAMARGO, C. C. Surface air temperature trends in Southern Brazil for 1960-2002. International Journal of Climatology, 28, 893-904. 2008.

MARENGO, J. A. Climatology of the low-level Jet East of the Andes as Derived from NCEPNCAR Reanalyses: Characteristics and Temporal Variability. Journal of Climate, v.17, n.12, p.2261-2280, 2004.

MEDEIROS, R. M. Estudo agrometeorológico do Estado do Piauí. p.125. 2016.

OKE. City size and the urban heat island. Atmospheric Environment, v. 7, n. 8, p. 769–779, ago. 1973.

PAIVA, F. I. B.; ZANELLA, M. E. Microclimas urbanos na área central bairro da Messejana, Fortaleza/CE. Revista Equador (UFPI), v.2, n.2, p.153-172, 2013.

ROVANI, F. F. M.; COSTA, E. R.; CASSOL, R.; SARTORI, M. G. B. Ilhas de calor e frescor urbanas no bairro Camobi, Santa Maria/RS, em situação atmosférica de domínio da massa polar atlântica no inverno. Revista Brasileira de Climatologia, v. 6, p. 23 - 36, 2010.

SANT’ANNA NETO, J. L. O clima urbano como construção social: da vunerabilidade polissêmica das cidades enfermas ao sofisma utópico das cidades saudáveis. Revista Brasileira de Climatologia, v. 8, 2011.

SANTAMOURIS, M. Cooling the cities – A review of reflective and green roof mitigation technologies to fight heat island and improve comfort in urban environments. Solar Energy. V.103,p.682–703.2014.Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0038092X12002447. Acesso em: abril 2017.

SANTOS, K. P. C.; CUNHA, A. C.; SOUZA, E. S.; COSTA, A. C. L. Índices de Tendências Climáticas Associadas à “ilha de calor” em Macapá-AP (1968-2010). Revista Brasileira de Ciências Ambientais, v. 23, p. 1-16, 2012.

SILVA, J. F.; FERREIRA, H. S.; SANTOS, M. O. Considerações sobre os estudos em clima urbano. Revista Geama, v. 2, n. 1, p. 156-170, 2015.

SILVA, V.; SOUSA, F.; CAVALCANTI, E. P.; SOUZA, E.; SILVA, B. B. Teleconnections between sea-surface temperature anomalies and air temperature in northeast Brazil. Journal of Atmospheric and Solar-Terrestrial Physics, Canada, v. 68, n. 68, p. 781-792, 2006.

SPECIAN, V.; SILVA JUNIOR, U. P.; VECCHIA, F. A. S. Padrão térmico e higrométrico para dois ambientes de estudo: área urbanizada e remanescente de cerrado na cidade de Iporá - GO. Espaço & Geografia, v. 16, n. 1, p.255– 277, 2013.

TING, D. S. K. Heat Islands – Understanding and Mitigating Heat in Urban Areas. Earthscan LLC, 2012.

THOM, E. C. The Discomfort Index. Weatherwise, v.2, n.1, p.567-60, 1959.

VAREJÃO, M. A. S. Meteorologia e climatologia. Versão Digital 2, Recife, p.463. 2006.




DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v26i49.6067

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio