OS MÉTODOS E AS CIÊNCIAS

Antonio Bernardes

Resumo


Principia-se essa discussão pela abordagem de algumas concepções filosóficas do que é o conhecimento em direção ao que é o conhecimento científico. Pela emergência da lógica da doutrina positivista, que corresponde com a institucionalização das Ciências Modernas, é abordada a cisão entre o conhecimento científico e o filosófico e, posteriormente, como pelo desenvolvimento científico e tecnológico pode haver a reaproximação entre eles. Considerando o método como um dos elementos nevrálgicos da relação entre as Ciências e a Filosofia, há a interpretação das influências filosóficas nas Ciências considerando os métodos como instrumentos intelectuais, salientando os principais elementos que os constituem e os seus diferentes tipos. Já nas considerações que findam essa discussão, se propõe uma abordagem a partir da Ontologia hermenêutica de Gadamer (1997) para a interpretação das influências dos métodos filosóficos nas Ciências, destacando a situação do pensador e pesquisador nesse processo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Aparelhos ideológicos do Estado: nota sobre os aparelhos ideológicos de Estado. São Paulo: Edições Graal, 2000.

BERNARDES, Antonio. Quanto às categorias e aos conceitos. In: Revista Formação (on-line). Presidente Prudente, Revista Formação Online, n. 18, volume 2, p. 39-62, 2011.

CHAUÍ, Marilena de Souza. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 2000.

CARVALHO, Marcos de. Diálogos entre as Ciências Sociais: um legado intelectual de Friedrich Ratzel (1844 – 1904). In: Revista de Geografia y Ciencias Sociales. nº 34, Barcelona, 1997.

DELEUZE, Gilles. O que é a filosofia? São Paulo: Editora 34, 1992.

DELEUZE, Gilles; GUATARRI, Felix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia 2. São Paulo: Editora 34, 2011.

DESCARTES, René. Discurso do Método: meditações; objeções e respostas; as paixões da alma; cartas. São Paulo: Abril Cultural,1983.

FEYERABEND, Paul. Contra o método. São Paulo: Editora UNESP, 2007.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. São Paulo: Graal, 2012.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método: traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Petrópolis: Vozes, 1997.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

HUSSERL, Edmund. A ideia da Fenomenologia. Lisboa: Edições 70, 2015.

JAPIASSU, Hilton; MARCONDES, Danilo. Dicionário básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2001.

KANT, Immanuel. Crítica da razão pura. São Paulo: Martin Claret, 2005.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Ed. UNESP, 2000.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: Atlas, 2003.

LEIBNIZ, Gottfried Wilhelm. Leibniz: os pensadores. São Paulo: Nova cultural, 1999.

LEFEBVRE, Henri. Lógica formal/Lógica dialética. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1975.

LEFEBVRE, Henri. A vida cotidiana no mundo moderno. São Paulo: Ática, 1991.

LUKÁCS, György. A falsa e a verdadeira ontologia de Hegel. São Paulo: Livraria Editora Ciências Humanas,1979.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos-filosóficos. São Paulo: Boitempo Editorial, 2009.

MORA, José Ferrater. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes: 2001.

MOREIRA, Ruy. Para onde vai o pensamento geográfico? São Paulo: Contexto, 2006.

MORENTE, Manuel Garcia. Fundamentos de filosofia: lições preliminares. São Paulo: Mestre Jou, 1976.

POPPER, Karl Raymund. Karl Popper: busca Inacabada (autobiografia intelectual). Lisboa: Esfera do Caos, 2008.

SPOSITO, Eliseu Sáverio. Geografia e Filosofia: contribuição para o ensino do pensamento geográfico. São Paulo: UNESP, 2004.




Revista Formação (Online). ISSN: 2178-7298. E-ISSN: 1517-543X

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS









Apoio