COMPETITIVIDADE REGIONAL DO SETOR SUCROENERGÉTICO NO TRIÂNGULO MINEIRO/ALTO PARANAÍBA

Henrique Faria dos Santos

Resumo


O presente artigo objetiva analisar a competitividade regional do setor sucroenergético no Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba a partir da identificação e análise de alguns fatores (naturais, geoeconômicos e político-normativo-institucionais) que conferem maior produtividade e fluidez aos agentes. No atual período da globalização, a localização geográfica tem se tornado uma estratégia cada vez mais importante para que as grandes empresas se insiram e se mantenham nos principais mercados nacionais e internacionais. Isto porque o ganho de competitividade não depende apenas das condições internas das firmas, mas também de fatores externos que assegurem a eficiência das atividades (produção e logística). Para tanto, regiões, territórios e lugares são chamados a participar deste processo, disponibilizando condições geográficas ideais que proporcionem melhores qualidades e custos dos produtos e/ou serviços. É o caso, por exemplo, do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba, uma das principais Regiões Produtivas do Agronegócio Canavieiro do país. A pesquisa bibliográfica, documental-estatística e trabalhos de campo permitiram verificar que a recente expansão do setor sucroenergético na área de estudo decorre, em grande parte, da existência de algumas condições produtivas e logísticas que resultam em maior competitividade dos agentes, principalmente na porção regional a qual denominamos de Região Competitiva Agroindustrial do Setor Sucroenergético (RCASS) de Uberaba-Frutal.


Texto completo:

PDF


Revista Formação (Online). ISSN: 2178-7298. ISSN-L: 1517-543X