MORFOMETRIA DO RELEVO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO CÓRREGO MOEDA, TRÊS LAGOAS/MS

Rafael Brugnolli Medeiros, André Luiz Pinto, Angélica Estigarribia São Miguel, Weslen Manari Gomes

Resumo


Os processos de degradação em bacias hidrográficas estabelecem graves dificuldades em escala mundial, com implicações ambientais, sociais e econômicas expressivas, sendo necessárias pesquisas que analisem as características do relevo que acabam influenciando diretamente nos processos erosivos, permitindo uma melhor gestão das práticas desenvolvidas nas bacias hidrográficas. O objetivo dessa pesquisa é avaliar a energia potencial erosiva do relevo, por meio da interação da declividade, dissecação horizontal e vertical da Bacia Hidrográfica do Córrego Moeda - BHCM, Três Lagoas/MS. Foram realizados mapeamentos em ambiente SIG, bem como, demarcados onze pontos ao longo da bacia. Com os resultados obtidos, apontou-se um relevo plano a suave, com declives de 0 a 6%, já oferecendo limitações de ocupação rural, necessitando de ações de controle erosivo. O comprimento das vertentes apontaram a maior presença das classes de 100 a 500 metros (horizontal) e das classes de 0 a 50 metros (vertical). Com isso, apresentou-se como maior classe, a Energia Potencial Erosiva do Relevo Fraca, ficando disposta ao longo da BHCM. De maneira geral, o mapeamento ofereceu informações capazes de confirmar a influência das declividades sobre o potencial erosivo, pois seus índices ficaram mais elevados nos locais onde os declives são mais acentuados, não ocorrendo da mesma forma com as dissecações.


Texto completo:

PDF


Revista Formação (Online). ISSN: 2178-7298. ISSN-L: 1517-543X