BREVE DEBATE SOBRE A QUESTÃO AMBIENTAL E A TEORIA SISTÊMICA NA GEOGRAFIA FÍSICA

Éderson Dias Oliveira, Émerson Dias Oliveira, Fernando Fernandes

Resumo


A Geografia emerge enquanto ciência no fim do século XIX com uma abordagem unitária, numa tentativa de abarcar a totalidade do espaço, ainda que com falhas, comum para uma ciência que estava apenas iniciando. Esta, ao longo de sua recente história passou por uma evolução conturbada, mesclada de interferências das mais variadas que dificultaram o seu desenvolvimento. Com isso, há uma grande fragmentação, destando num primeiro momento a dicotomia física/humana, e a seguir uma divisão em sub-áreas que favoreceram para certa pulverização da ciência geográfica. Neste enfoque de fragmentação, a Geografia Física enquanto parte da Geografia vai ser também comprometida sendo seus estudos cada vez mais compartimentados, refletindo em apenas um conhecimento disperso e sem objetividade. A fim de superar essa segregação surgiram, nas últimas décadas algumas abordagens que procuram agregar a Geografia Física de maneira unitária, se destacando o advento da questão ambiental e a abordagem sistêmica. Através das questões ambientais, a Geografia Física se viu obrigada a questionar a fragmentação entre ambiente e sociedade, funcionando como “elo” nesta relação. Já com a abordagem sistêmica, temos uma metodologia de análise que procura trabalhar a inter-relação homem/meio, onde o simples fazer geográfico de forma isolada perde espaço.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formação.v1i17.312

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio