A TRANSIÇÃO PARA O CAPITALISMO NA COSTA RICA: UMA COLÔNIA HISPÂNICA SEDUZIDA PELO GRÃO DE OURO

Sabrine Schnell

Resumo


Os territórios das colônias hispano-lusitanas se caracterizavam por uma economia de subsistência a qual passou a ser uma exploração agropecuária e mineira para se inserir no comercio mundial utilizando mão-de-obra forçada nativa e negra. No caso da província da Costa Rica, esta sofreu uma colonização tardia, mas que eventualmente se inseriu no mercado mundial capitalista com o impulso do “grão de ouro”, o café. A seguir, se estabelece um diálogo entre diferentes autores que apresentam as diversas teorias das formações pré-capitalistas na América Latina e o processo de transição para o capitalismo para poder entender o caso específico na província da Costa Rica.   Desta maneira, se expõe como estas mudanças na inter-relação entre as forças produtivas e as relações de produção, entre as novas formas de posse e propriedade do solo e inclusive a imposição de uma desconhecida religião pela conquista, vão redesenhar o destino econômico, social, urbano e político da nova república declarada em 1821.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v1i20.2314

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio