O CAMPO TERMO-HIGROMÉTRICO DO PARQUE ITAIMBÉ/SANTA MARIA/RS EM SITUAÇÃO ATMOSFÉRICA DE DOMÍNIO DA MASSA POLAR ATLÂNTICA NO INVERNO

Eduino Rodrigues da Costa

Resumo


A presença de parques nas cidades constitui-se num regulador do clima urbano tanto ao nível de escala topoclimática quanto microclimática. Neste sentido este trabalho teve por objetivo estudar o campo térmico e higrométrico do parque Itaimbé localizado na zona urbana do município de Santa Maria/RS num episódio de domínio das condições de tempo atmosférico pela Massa Polar Atlântica no inverno. A metodologia utilizada foi a do SCU (Sistema Clima Urbano) de Monteiro (1976), canal de percepção termodinâmico. As medidas de temperatura e umidade relativa do ar no parque Itaimbé foram realizadas em 4 horários específicos (09, 12, 15 e 18 horas) no dia 30 de agosto de 2008, representativo do domínio polar atlântico. O parque foi dividido em 5 setores, onde além da aquisição dos dados térmicos e higrométricos, foram feitos estudos da geoecologia  e dos elementos geourbanos do mesmo. Na aquisição dos dados de temperatura e umidade relativa do ar foram utilizados um termômetro digital calibrado da marca Matsutek®. Estes dados foram posteriormente tabulados na panilha do Excel e com o uso do aplicativo Surfer for Windows 8, foram elaborados os cartogramas do campo térmico e higrométrico do parque. Como resultados destaca-se que os setores 1 e 2 menos arborizados e mais impermeabilizados apresentaram-se mais aquecidos e com menor umidade relativa do ar nos horários das 09, 12 e 15 horas do que os setores 3, 4 e 5 mais arborizados e com menor presença de áreas construídas. Além disto, pode-se comprovar que os setores do parque geram microclimas diferenciados em função das diferentes modificações de seus ambientes.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33081/formacao.v1i20.2135

Revista Formação (Online). ISSN: 1517-543X. E-ISSN: 2178-7298

 

 

INDEXAÇÕES E BASES BIBLIOGRÁFICAS

                         

Imagem relacionada

Apoio