O ESPAÇO URBANO DESIGUAL: O CASO DA ZONA SUL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP

Luiz Henrique Mateus Lima

Resumo


São José do Rio Preto é uma cidade que traz em sua história ações de diferentes agentes produtores do espaço, cujas políticas possibilitaram que o urbano fosse apropriado de modo diferenciado. Dessa forma, o acesso passou a ser definido de acordo com fatores como a condição econômica dos citadinos. Assim, as melhores áreas foram destinadas a quem podia pagar pela localização privilegiada, enquanto que, para os outros, restaram as periferias, cujas melhorias ocorrem de forma mais lenta. Contudo, o recorte territorial deste trabalho mostra que, em uma mesma porção, a zona Sul, nós podemos observar que essas diferenças estão visíveis, pois nesta área valorizada e marcada pelas presenças de condomínios de luxo e shopping centers existem loteamentos populares implantados há duas décadas que sequer contam com as obras de infraestrutura esperadas. Nesse contexto, com o espaço urbano apropriado de maneira desigual, surgem processos como a segregação socioespacial, promovendo um afastamento visível entre os diferentes segmentos da população. O objetivo deste artigo é analisar a questão das desigualdades existentes em São José do Rio Preto, tendo como base uma área específica que traz contradições visíveis.


Texto completo:

PDF


Caderno Prudentino de Geografia - ISSN: 2176-5774

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Presidente Prudente/SP

Rua Roberto Simonsen, 305, Centro Educacional, CEP: 19.060-900, Presidente Prudente, São Paulo.