O TERREIRO DE RELIGIÕES DE MATRIZ AFRICANA COMO ESPAÇO MARGINAL E POSSÍVEL À VIVÊNCIA DE PESSOAS TRAVESTIS

Taiane Flôres do Nascimento, Benhur Pinós da Costa

Resumo


O presente artigo tem como foco central, ressaltar o terreiro como espaço marginal que integra corpos marginalizados – no caso específico desta pesquisa, as travestis – entendendo assim, que o terreiro é um espaço plural passível de qualquer dinâmica relacionada a construção de espacialidades integradoras e abertas, possíveis de vivências diversas. A Geografia com enfoque na religião, juntamente com a perspectiva de gênero, pode ser capaz de explicar as relações de subversão e/ou de acolhimento por parte de grupos religiosos no que se refere a introdução de grupos sociais marginalizados da sociedade normativa. A partir desta perspectiva, uma das possibilidades diante da composição do espaço religioso por relações sociais diferenciadas de gênero, pode ser relacionada diante de uma análise social e cultural dos pressupostos da diferenciação de crenças.


Palavras-chave


Terreiros; Espaço; Travestis; Religião

Texto completo:

PDF


Caderno Prudentino de Geografia - ISSN: 2176-5774

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Presidente Prudente/SP

Rua Roberto Simonsen, 305, Centro Educacional, CEP: 19.060-900, Presidente Prudente, São Paulo.