TRANSFORMAÇÃO DA PAISAGEM E RECUPERAÇÃO DE ÁREA DEGRADADA POR PROCESSO EROSIVO LINEAR EM PEQUENA PROPRIEDADE RURAL NO MUNICÍPIO DE JUSCIMEIRA - MT

Luzirene Rodrigues de Matos Teixeira, Caio Augusto Marques dos Santos, Érika Cristina Nesta Silva

Resumo


Os processos erosivos podem ser compreendidos de duas maneiras: a primeira, sob a ótica da dinâmica da natureza, em que esse processo é um dos principais motores da esculturação do relevo e acontece no tempo geológico; a segunda é entendida a partir da conjunção entre a dinâmica da natureza e da sociedade, situação em que os processos, por afetarem diretamente o ser humano, tornam-se um problema ambiental. A perda de solos nos espaços rurais tem causado prejuízos aos produtores rurais, sobretudo àqueles ligados à agricultura familiar, seja por perda efetiva de área agricultável pela erosão do tipo linear, seja por perda de camadas superficiais de solo fértil pela erosão laminar. Sendo assim, o presente trabalho teve como objetivo a recuperação de uma área degradada por processo erosivo linear em pequena propriedade de agricultura familiar no município de Juscimeira-MT. O processo erosivo teve como intensificador o desmatamento de espécies arbóreas e arbustivas típicas do cerrado, diversos ciclos de cultivos agrícolas e, atualmente, criação de gado bovino. Para a verificação da propensão do solo a erosão, foi coletada amostras de solo para realização de análise granulométrica e fracionamento da areia (adaptada de EMBRAPA, 1997). Para recuperação da área, utilizou-se a técnica da paliçada de bambus trançados e sacos de ráfia cheios de terra junto aos bambus. Instalou-se três barreiras de paliçada: a primeira, fora da feição erosiva, próxima de sua cabeceira, e as outras duas dentro dela. Além disso, fez-se o cercamento da área com arame liso para impedir o pisoteio do gado e restabelecimento espontâneo da vegetação. O resultado da análise granulométrica apontou textura franca (48,58% de areia, 29,69% de silte e 21,73% de argila), e o fracionamento da areia indicou um predomínio de 34,88% de areia fina. Dessa forma, tem-se uma combinação entre os aspectos texturais, declividade relativamente baixa no local da ravina e alta no entorno, e uso do solo que favoreceram o surgimento da feição erosiva que necessitava ser contida. A técnica de baixo custo apresentou resultados positivos: a barreira conteve o avanço do processo erosivo e permitiu a regeneração da vegetação no local. Destaca-se a importância fundamental do cercamento da área de estudo, que evitou o pisoteio do gado e permitiu que a vegetação se restabelecesse. Por fim, a técnica apresenta-se como uma alternativa viável para os pequenos produtores rurais, tanto no que se refere às características naturais do solo e relevo, como também com menor dispêndio de capital para manejo e conservação do solo.

Palavras-chave


Juscimeira-MT; Recuperação de área degradada; Processo erosivo

Texto completo:

PDF


Caderno Prudentino de Geografia - ISSN: 2176-5774

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Presidente Prudente