A DINÂMICA CANAVIEIRA NA MICRORREGIÃO CERES, GOIÁS: DAS COLÔNIAS AGRÍCOLAS NACIONAIS AO AGRONEGÓCIO SUCROENERGÉTICO

Lara Cristine Gomes Ferreira, Fernando Luiz Araújo Sobrinho

Resumo


A formação socioespacial brasileira apresenta vários contextos chaves para se entender algumas transformações verificadas em sua paisagem. Parte-se assim, da tentativa de compreender a territorialização da atividade canavieira no Brasil e seus desdobramentos socioespaciais, em particular para a microrregião Ceres, localizada no estado de Goiás, por entender que a atividade canavieira, e a lógica sucroenergética atual, apresenta elementos ricos, “novos” e “velhos” de apropriação, que contribuem para o desvelar das contradições. A atividade canavieira, que conjuga produção, processamento e circulação dos produtos, por meio de um sistema agroindustrial é bastante complexa, pois acaba por influenciar e dinamizar o campo e a cidade, o rural e o urbano, bem como a região a qual está inserida. Acredita-se que a dinamização socioeconômica marginal e o desenvolvimento incompleto, bem como as contradições socioespaciais frutos do agronegócio sucroenergético veirificado na região estudada, estão materializados no espaço geográfico e são perceptíveis na paisagem regional.  

Palavras-chave


Expansão Sucroenergética; Estado; Ordenamento Territorial; Paisagem; Microrregião Ceres.

Texto completo:

PDF


Caderno Prudentino de Geografia - ISSN: 2176-5774

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Presidente Prudente/SP

Rua Roberto Simonsen, 305, Centro Educacional, CEP: 19.060-900, Presidente Prudente, São Paulo.