UM ENSAIO ARGUMENTATIVO A FAVOR DO USO DE QUANTIFICAÇÃO EM GEOGRAFIA

Luis Alberto Martins Palhares Melo, Ercília Torres Steinke

Resumo


Desde os primórdios da Geografia como ciência, distintas correntes geográficas, em diversos momentos históricos, postularam objetos e métodos distintos para a mesma. Nos anos 1970 ocorreram intensos embates entre as correntes radical e quantitativa da Geografia. Em essência, a corrente radical condenava o “mapeamento” quantitativo do espaço geográfico, fato preconizado pela corrente quantitativista, pois isso, segundo a concepção da corrente radical, apresentava sérias limitações de representação da realidade e, principalmente, servia como instrumento de dominação por parte das classes dominantes. Este ensaio apresenta uma argumentação a favor do uso de métodos quantitativos na prática geográfica e conclui que a quantificação complementada pelo conhecimento subjetivo e analítico do geógrafo pode proporcionar melhor entendimento do espaço geográfico.

Palavras-chave


Geografia quantitativa; Geografia crítica; quantificação

Texto completo:

PDF


Caderno Prudentino de Geografia - ISSN: 2176-5774

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Presidente Prudente/SP

Rua Roberto Simonsen, 305, Centro Educacional, CEP: 19.060-900, Presidente Prudente, São Paulo.