Goiânia — um mosaico imaginário: modernidades e micro-tempo-territorialidades

Valéria Cristina Pereira da Silva

Resumo


O presente artigo tem por objetivo apresentar o estudo da cidade de Goiânia partir da relação entre temporalidade, imaginário e as sensibilidades cotidianas. A cidade de Goiânia, assim como Brasília, Belo Horizonte e Palmas é uma cidade que surgiu a partir de projetos e planos sofisticados, distinta das cidades históricas cujos espaços estão atrelados à memória e à identidade coletivas forjadas na passagem do tempo e no que também compreendemos como duração. O tempo ausente, entretanto, não é um tempo abolido, inexistente, mas sim um tempo que espera para “acontecer”, que espera para transcorrer. Em Goiânia, já assinalamos, no decurso de quase oito décadas, a possibilidade de investigar a temporalidade urbana e nela o imaginário social, no qual a literatura e a paisagem são os instrumentos privilegiados de análise para interpretar, no espaço urbano, suas micro-tempo-territorialidades forjadas no cruzamento inextrincável entre a cidade, a memória a sensibilidade.


Palavras-chave


Cidade, Imaginário, temporalidade.

Texto completo:

PDF


Caderno Prudentino de Geografia - ISSN: 2176-5774

 

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Presidente Prudente/SP

Rua Roberto Simonsen, 305, Centro Educacional, CEP: 19.060-900, Presidente Prudente, São Paulo.