A FUNÇÃO CURRICULAR DA ESCOLA E O PAPEL DOS PROFESSORES: POLÍTICAS, DISCURSO E PRÁTICAS DE CONTEXTUALIZAÇÃO E DIFERENCIAÇÃO CURRICULAR

Maria do Céu Roldão

Resumo


As políticas curriculares desde o último quartel do século XX têm vindo a acentuar a reorientação dos loci de decisão curricular em resultado da complexidade dos contextos e populações que a universalidade da escolarização trouxe para o interior da escola nas sociedades democráticas, acentuando as pressões quer no sentido da contextualização e diferenciação quer no reforço de um núcleo curricular comum corporizado nos chamados currículos nacionais. Nesta comunicação, procura-se examinar este processo a dois níveis: no plano macro-político, pela interpretação teórica dos diferentes formatos adoptados por países com histórias diferentes na articulação destes dois planos de decisão curricular – o Estado e a escola – e respectivas implicações para as práticas curriculares reais; no plano praxiológico, com base em revisões de investigação portuguesa sobre as práticas de ensino no interior desta mutação política, assinalam-se as contradições discurso/acção docente e políticas das escolas, bem como as questões associadas às culturas profissionais e organizacionais que podem explicar parte das contradições identificadas. Discutem-se ainda algumas implicações e questões resultantes da análise desenvolvida.


Palavras-chave


gestão do currículo; core curriculum; diferenciação curricular; práticas de ensino

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v17i18.767


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com