A Língua Absolvida: Uma Especulação Para A Formação De Professores

Marilda da Silva

Resumo


Neste artigo apresentamos uma reflexão sobre o modo pelo qual acreditamos que são atribuídos significados ao ato pedagógico que, no limite, contribui para a constituição do que aqui denominamos uma cultura didática. Essa cultura, por sua vez, e constituída muito mais a partir de uma idéia sobre o modo do fazer didático e muito menos pelos seus constituintes. Tais idealizações são fruto da tendência histórica da didática que se norteia pela normatização e prescrição do ato pedagógico. Isso parece contribuir para uma compreensão problemática do trabalho realizado na sala de aula que, em certa medida, implica a compreensão da sociedade do fazer realizado na escola. Como recurso analítico, lançamos mão do texto autobiográfico de Elias Canetti intitulado A Língua Absolvida, o qual consideramos muito fértil para discussões que dizem respeito à formação de professores.


Palavras-chave


Normatização; Prescrição Didática; Experiências Escolares; Trabalho Docente; Cultura; Didática.

Texto completo:

Artigo


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v4i4.72


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com