O EXERCÍCIO DA AMOROSIDADE COMO ATITUDE DE MUDANÇA PARADIGMÁTICA PARA A DOCÊNCIA

Marina Patrício de Arruda

Resumo


Vivemos um tempo de incertezas e insatisfações cuja força é capaz de corroer a base do conhecimento estabelecido ou, até sacudir paradigmas ocultos que governam a organização das ideias. No marco de várias contradições, a instituição de ensino é pressionada a revisar-se quanto a transmissão de conteúdos tradicionais alterando esta função a uma maior complexidade. Esse artigo teve como objetivo tecer considerações sobre práticas pedagógicas de professores que marcaram vidas de estudantes na pós-graduação. A análise textual como parte essencial da metodologia de pesquisa desenvolveu-se por meio de um processo que procurou distinguir para imediatamente articular um conjunto de materiais discursivos para a produção de novos discursos. Numa síntese provisória, pode-se afirmar que o processo da escrita possibilitou a atribuição de significados à prática pedagógica de professores que incluem racionalidade e amorosidade às suas práticas. Cabe a educação o aprofundamento de discussões sobre Educação para inteireza, teoria da complexidade, auto-organização e concepção de autopoiesis por indicarem a possibilidade de uma práxis inventiva e emancipatória. Assim, dar vistas aos sentidos que certas experiências de formação imprimem à vida de estudantes permite-nos problematizar a prática pedagógica e levar adiante o exercício da amorosidade, como  atitude de mudança essencial à docência.


Palavras-chave


Palavras-chave: Prática pedagógica. Mudanças paradigmáticas. Racionalidade. Amorosidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32930/nuances.v29i1.5760


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com