Os desafios da oferta obrigatória da Educação Infantil em Redes de Ensino de Pernambuco

Dayseellen Gualberto Leite, Katharine Ninive Silva

Resumo


A oferta da educação básica obrigatória e gratuita dos 4 (quatro) aos 17 (dezessete) anos está prevista na Constituição Federal de 1988 (alterada pela Emenda Constitucional n. 59/2009) e a Lei 9.394/96 - Diretrizes e Bases da Educação Nacional (alterada pela Lei 12.796/13). Desta forma, os municípios brasileiros necessitam garantir uma Educação Infantil pautada na qualidade da oferta e de condições de funcionamento, vista como direito de toda e qualquer criança sua vivência em um ambiente escolar estruturado, adequado e organizado a partir de suas especificidades e singularidades. Neste artigo, analisamos o Plano Nacional, Estadual de Educação de Pernambuco e os Planos Municipais de Educação de três municípios da Região Agreste, levantando alguns elementos conclusivos em relação ao previsto nestas redes de ensino em torno da problemática da oferta obrigatória e gratuita da Educação Infantil a partir dos 4 (quatro) anos de idade, bem como os desafios da sua universalização.

 

PALAVRAS-CHAVE: Educação Infantil. Criança. Infância. Obrigatoriedade. Educação Básica.

Palavras-chave


Educação Infantil; Criança; Infância; Obrigatoriedade; Educação Básica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.32930/nuances.v29i1.4577


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com