A ATENÇÃO NA INFÂNCIA: CULTIVO OU MEDICALIZAÇÃO?

Regina Buccini Pio Ribeiro, Aurino Lima Ferreira

Resumo


Diante do cenário de medicalização no contexto educacional, este artigo tem por objetivo apresentar práticas formativas, na educação infantil, que possibilitem maneiras de lidar com a atenção para além dos diagnósticos. Através da observação participante, em uma perspectiva fenomenológica, levantamos pontos significativos na interlocução entre os processos de cultivo da atenção e vivências lúdicas. A noção de cultivo da atenção emerge, nas ciências cognitivas contemporâneas, a partir da relação entre o exame da experiência fenomenológica e práticas, como a meditação. Neste estudo, foi possível perceber que as atividades lúdicas no ambiente da educação infantil, sob a perspectiva da aprendizagem por cultivo, podem se constituir como espaços propícios, nos quais a capacidade atencional pode se desenvolver e ser cultivada.


Palavras-chave


Cultivo atencional. Lúdico. Infância.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v28i2.4562


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com