DISCURSOS DE IDENTIDADE E ALTERIDADE NOS CURRÍCULOS ESCOLARES EM TEMPOS DE GLOBALIZAÇÃO BIOPOLÍTICA

Dulce Mari Silva Voss

Resumo


O artigo retoma leituras feitas no Curso de Especialização em Educação e Diversidade Cultural (UNIPAMPA/Campus Bagé) operando com as teorias pós-estruturalistas e os estudos culturais na análise dos processos de subjetivação e dos modos pelos quais se constituem discursos acerca de identidade e diferença no contexto da chamada globalização biopolítica. Entende ser necessário problematizar certos discursos fundados no pensamento da modernidade que nomeiam e fixam identidades e diferenças por características físicas, biológicas, territoriais, para refletir não só sobre a emergência de contemplar nos currículos escolares as questões étnicas, raciais, de gênero e sexistas, mas repensar os modos pelos quais tais temáticas são posicionadas nos processos de ensino e aprendizagem e que sentidos/efeitos produzem na contemporaneidade.   


Palavras-chave


Identidade; Alteridade; Currículo; Globalização.

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v27i2.4343


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com