REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS PROFESSORES FORMADORES: O SENTIDO DO TRABALHO DOCENTE E A PROFISSIONALIZAÇÃO

Maria de Fátima Barbosa Abdalla

Resumo


Este estudo pretende, fundamentando-se em Moscovici (1978, 2003) e Bourdieu (1997, 1998), identificar elementos para compreender as representações sociais de professores formadores a respeito do trabalho docente frente ao processo
de profissionalização. A pesquisa se desenvolve em uma universidade da baixada santista, tendo como sujeitos professores de diferentes Cursos de Licenciatura. Como procedimentos metodológicos, utilizamos, em uma 1ª fase, um questionário composto por questões fechadas, abertas e de evocação. A 2ª fase deu origem ao grupo focal constituído por nove professores. Na 3ª fase, realizaram-se entrevistas
semi-estruturadas com sete destes professores. Como resultados parciais, configurou-se um espaço diferenciado de sentidos, analisados em duas dimensões: na (re)construção da identidade profissional e na  lógica da “resistência” e/ou da
“inovação”, enfatizando os limites da formação para a mudança dos sujeitos e suas intenções/tensões quanto ao processo de profissionalização.

Palavras-chave


representações sociais; trabalho docente; profissionalização

Texto completo:

Artigo


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v16i17.319


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com