O JOGO DE PAPÉIS COMO ATIVIDADE PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: APONTAMENTOS PARA A EMANCIPAÇÃO HUMANA

Giselle Modé Magalhães, Afonso Mancuso de Mesquita

Resumo


O presente trabalho insere-se no diálogo da Psicologia Histórico-Cultural com os processos pedagógicos da Educação Infantil. Aborda-se os conteúdos trazidos por Daniíl Elkonin, autor russo que dedicou seus estudos à periodização do desenvolvimento humano e ao processo de surgimento do jogo na estrutura da atividade do indivíduo, para afirmar que cabe à escola intervir no jogo de papéis como atividade pedagógica da idade pré-escolar. Defende-se aqui uma educação que desnaturalize a mercantilização das relações humanas posta na sociedade capitalista, à medida que, por meio do jogo de papéis, o professor pode ensinar atitudes anticapitalistas às crianças, fortalecendo a luta pela emancipação humana. Conclui-se que o ensino de tais atitudes passa não só pela formação do professor, como também pela sua politização e engajamento na condução da educação pública. Para tanto sugere-se a criação de espaços com atividades culturais, que podem promover o diálogo e a reflexão da categoria.

http://dx.doi.org/10.14572/nuances.v25i1.2727


Palavras-chave


Emancipação humana; Politização do professor; Ensino; Jogo de papéis

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v25i1.2727


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com