Por Quê Dançar Na Escola Em Uma Época De Crise?

Débora Barreto

Resumo


De um modo geral, na maioria das academias, a dança tem sido ensinada de forma a se dicotomizar corpo e mente, valorizando apenas a técnica e a alta performance (as "ninfas" e "sílfides" virtuosas) e estimulando a "ego-ação" do dançarino. No entanto, com base em autores como TAYLOR, BABIN, FREIRE e outros, pode-se pensar o ensino da dança como um "diálogo de corpos", no qual corpo e mente, conhecimento intuitivo e racional, sejam integrados, respeitando-se, assim, a liberdade de cada indivíduo de refletir criticamente sabre o significado da arte de dançar.


Palavras-chave


Dança; Ensino de Dança; Dança e Educação; Educação Artística.

Texto completo:

Artigo


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v1i1.26


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com