A SENSIBILIDADE E A ÉTICA COMO MEDIADORAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE UM EDUCADOR MUSICAL

Maria Helena Jayme Borges

Resumo


O objetivo central desta pesquisa - feita em uma abordagem qualitativa, focalizando um estudo de caso – é propor que os educadores musicais realizem um trabalho que melhor possibilite ao aluno refletir, desenvolver sua sensibilidade, pensar sobre a sua conduta, a dos outros, construir seu próprio caminho social, moral e intelectual. A hipótese levantada foi a de que isso se torna possível quando o professor, guiado por princípios éticos, procura oferecer ao aluno um ambiente propício ao desenvolvimento de sua sensibilidade e autonomia cuja aquisição se apresenta, ao mesmo tempo, como condição e produto do ensino do piano, da forma como é proposto neste trabalho. A fundamentação teórica foi buscada nos trabalhos de Piaget e dos autores que estudaram o desenvolvimento da autonomia na criança e no adolescente considerando, em especial, a metodologia ativa e o ambiente escolar enquanto responsáveis pela criação de condições favoráveis ao desenvolvimento da autonomia e da consciência estética do aluno. O trabalho visa também, como objetivo derivado e complementar, oferecer sugestões para uma metodologia, estratégias e técnicas direcionadas ao ensino do piano, levando em conta o desenvolvimento da autonomia. A análise e discussão dos resultados permitiram não apenas confirmar a hipótese levantada como, também, oferecer as sugestões metodológicas propostas.

http://dx.doi.org/10.14572/nuances.v24i2.2484


Palavras-chave


Educação musical; Consciência estética; Desenvolvimento da autonomia

Texto completo:

ARTIGO


DOI: https://doi.org/10.14572/nuances.v24i2.2484


Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Faculdade de Ciências e Tecnologia/Unesp - Presidente Prudente.

Retornar ao portal de revistas
Menor Menor Médio Médio Maior Maior
Facebook Facebook Revista Nuances
Email nuances.fct@gmail.com